Reportagens sobre Desenvolvimento de Carreira

Notícias para Empreendedores

Notícias sobre Mídia e Marketing

22 de dez de 2010

Boas Festas!

Fim de ano é uma época diferente. Cada um a vê de uma forma.

Esse ano minhas festas serão especiais.

Meus últimos 5 natais passei longe da família aqui no Brasil mas perto de outros parentes, velhos e novos amigos em outras partes de mundo. As vezes me sentido um pouco solitário, mas sempre bem acompanhado.

Este ano será especial. 5 períodos de festas depois, estou perto de meus familiares, velhos e novos amigos nessa nossa parte do mundo. Reuniremos em nossa casa pela primeira vez a mais jovem da família, minha filha de 9 meses, com os mais velhos, meus avós com 90 e 93 anos.

Se 2010 termina assim, nem precisa dizer que 2011 começa muito bem.

Divido esse breve trecho da minha vida pois desejo que todos, membros dos grupos Executivos Brasil, leitores ocasionais e amigos virtuais que estão lendo este post agora, encontrem dentro de sí um motivo para agradecer pelo ano que passa e para fazer do ano que vem mais um motivo para comemorar no futuro.

Volto em janeiro com energias renovadas para atualizar o Blog.

Abraço a todos;

Gustavo Vannucchi
Coord. Executivos Brasil

9 de dez de 2010

Cortar o Cafezinho como medida de economia. Vale a pena?

Escrito por Aristides Girardi


Este tema é polêmico, apaixonante e atual. Alguns gestores usam o símbolo do corte do cafézinho para desfraldar a bandeira do corte nos gastos administrativos e buscar reverter o resultado do balanço no final do mes. Há casos em que os gestores até conseguiram alcançar um certo resultado imediato, mas no longo prazo, a política se mostrou ineficiente.

Tirar o cafézinho, onde o hábito já está instalado, com o discurso de cortar gastos simplesmente, pode ter resultado totalmente nulo, além de estimular o surgimento de uma série de sentimentos negativos no ambiente, como por exemplo sensação de perda, imposição de autoridade, não valorização de um ambiente com qualidade, entre outros. Como diria o filósofo, cortar o cafezinho é como dar um "tiro" no próprio pé, e o pior ainda é quando o "tiro" sai pela culatra.

Veja no vídeo a seguir o bate-papo interessante que tive com a jornalista da TV Record Kelley Ambrósio sobre o assunto:




Sou contra cortar o cafezinho para reduzir gastos, este é um argumento que naufrága diante de outras mazelas administrativas praticadas na grande maioria das empresas e que não trazem um benefício correspondente ao benefício do cafézinho que queiramos ou não, mexe com a auto estima do bebedor de cafezinho.

Sou a favor do corte de horas extras nas empresas, algumas não imaginam o mal que estão fazendo para os seus funcionários, não calculam o custo absurdo das horas extras na folha de pagamento, e ainda não avaliam o "estrago" que uma equipe trabalhando no limite pode fazer com os resultados de balanço de uma empresa.

É cultural tomar cafézinho no Brasil e em muitos outros países do mundo. Existe ainda uma estratégia já praticada por muitas empresas onde o consumo de café é muito alto em virtude do grande número de funcionários, onde o cafézinho é subsidiado pelo funcionário e as opções são mais variadas e a qualidade e a higiêne acima da média.

Se você é contra ou a favor do corte do cafézinho para reduzir os gastos nas empresas, se manifeste.

Leia este e outros textos de Aristides no blog http://falecomoheadhunter.blogspot.com/

Aristides Girardi é CEO da Starhunter  e membro do grupo Executivos Brasil.