Reportagens sobre Desenvolvimento de Carreira

Notícias para Empreendedores

Notícias sobre Mídia e Marketing

16 de set de 2010

A construção de sua marca pessoal.


Escrito por Gustavo Vannucchi
Aqui no Linked In eu sou constantemente questionado sobre como se apresentar nas redes sociais. Não sou nenhum expert no assunto mas me veio à memória algo que já havia lido antes em outro lugar que me motivou a criar o Executivos Brasil.

A idéia da marca pessoal nasceu em torno desde 1977, quando Tom Peters escreveu um artigo chamado "a marca chamada você" para a revista Fast Company. Esse artigo foi citado por uma antiga colega de trabalho que o estudara na faculdade. Imagino que pra época, o conceito fosse bastante avançado.

Uma marca pessoal não se trata de um currículo, de um título, de uma experiência Marca pessoal é aquilo que o faz único, que lhe proporciona características que o destaquem dos demais e que assim sejam percebidas. É claro que sua história, seu estudo, sua família ajudam a construir essa marca. Mas não é o aspecto concreto de sua vida que cria sua marca, não há uma fórmula exata.

Pense na experiência de marca do consumidor. O que torna diferente um computador da Apple de um computador da Sony? O Carrefour do Extra? Essas marcas se sustentam sobre as expectativas e experiências de milhares de consumidores, criando uma personalidade única. Sua marca pessoal precisa transmitir essa mesma sensação de singularidade.

Quando você se candidata a um trabalho, sua experiência profissional e credenciais devem justificar sua candidatura e sua pretensão salarial. Para ser selecionado, por tanto, você tem que possuir um conjunto específico de habilidades a serem considerados para o cargo. O que vai fazer você se destacar são as características de vão além das qualificações.

Um Blog que vale a pena conhecer, escrito por Megan Koehler, é o ContempoResume. Em um de seus posts, cujo link se encontra no final deste texto, ela explica o que ela chama de  "Os Cinco Ps do Branding Pessoal."

   1. Personalidade - Todo mundo tem uma. O exercício a ser feito aqui é saber enxergá-la dentro de si mesmo e defini-la.
   2. Percepção - Como você é percebido? Pergunte a alguns colegas de confiança. Evite amigos, parentes. Pergunte se há áreas em que você pode melhorar.
   3. Paixão - O que motiva você? Você gosta de olhar para formas diferentes de fazer as coisas? Você é uma pessoa popular? O que torna a sua vida completa?
   4. Presença - Como você se apresenta? A idéia aqui não é saber como é percebido mas sim como você se projeta. Pense em tudo. Sorriso, aparência, assunto, postura, etc.
   5. Princípios – Quais são seus princípios? Quais são seus valores éticos, morais?

Ao responder essas questões você estará dando um grande passo para dominar sua marca pessoal. Agora basta (como se fosse fácil...) encontrar uma forma de compreender, compactar e imprimir isso de uma forma simples e sincera em cada uma de suas atitudes sociais.
Não perca a chance de deixar sua marca evidente nas comunidades sociais das quais participa, no seu Blog, no seu currículo e até no seu aperto de mão.
Agora é sua vez. Deixe aqui no Blog seu comentário.

Abraço;

Gustavo Vannucchi
Coord. Executivos Brasil

Link para o Blog de onde tirei os 5 Os do Branding Pessoal (em Inglês):

http://contemporesume.wordpress.com/2010/09/06/the-five-p%E2%80%99s-of-personal-branding/

2 comentários:

  1. Comentário feito no Linked In:

    * Group: Executivos Rio de Janeiro

    Bom dia, Gustavo! Gostei muito de seu artigo. Sempre tive esta preocupação, não só com a minha imagem profissional, mas social e familiar. Acredito que venha fazendo um bom trabalho, pois sou uma pessoa querida e procurada em todos os ambientes que transito. Isto me me faz plena e feliz porque chamo a isto realização humana.

    Acredito que evolução e melhoria sejam contínuas e que todos os que fazem parte direta ou indiretamente de nossas vidas contribuem para que superemos nossos pontos fracos e consolidemos nossos pontos fortes. Experiências e pessoas, boas ou más, somam. Só precisamos saber como transformar esta massa bruta em aprendizado. E somos eternos aprendizes!

    Desejo um excelente fim de semana! Abraços
    Posted by Alice Fonseca

    ResponderExcluir
  2. Saudações Gustavo

    Adorei o texto, é uma reflexão que devemos fazer sempre. Eu que tenho percebido em todas as redes que faço parte e e-grupos que existem algumas tendências e em geral cria-se uma expectativa de homogenizar os conteúdos de acordo com o perfil traçado pelo objetivo de cada grupo ou rede, o que na minha opinião vai na contra mão do exercício do cidadão virtual. Penso que o cidadão virtual circula pela web, como se estivesse caminhando ou sobrevoando vários lugarejos e grandes cidades, mas ele é sempre o mesmo cidadão. Ocorre que em alguns lugarejos virtuais criam-se legislações e regras específicas, às vezes rígidas e inflexíveis, como o fazem os cidadãos na vida não virtual.
    Na minha opinião, a identidade, a marca pessoal, fica restrita a alguns "muros" construídos nestas relações.
    Creio que a evolução das nossas relações nas redes sociais será marcada pela não repetição de padrões do mundo não virtual, deste modo poderemos transitar livremente neste universo bastante diverso, mantendo nossa marca pessoal.
    Um abraço
    Deise Nascimento

    ResponderExcluir

Suas palavras são bem vindas! Comentários que usem linguajar não adequado serão apagagos e o usuário será bloqueado.